Hierarquia: amor ou opressão?

12.02.2019  @DigaoPessoa
Alguns entendem sua importância, outros a odeiam e lutam contra ela, mas nem todos têm a exata noção do que é a hierarquia e qual sua importância para a civilização.



A importância e natureza do princípio hierárquico


O humano nasce indefeso necessitando de cuidados persistentes e continuados por muitos meses e anos para que seja mantido vivo e tenha a oportunidade de crescer. Tarefa tão grande, que exige tanta dedicação por tanto tempo, necessita ser exercida por amor e vocação.

Poderíamos, assim, dizer que a necessidade de ser cuidado e ser amado está na natureza do próprio humano. Daí vemos que o que une pais e filhos é um elo de amor que está na própria essência da vida humana.

Tire a mão daí, você pode se machucar... É, provável que você já tenha escutado algo assim ainda nos primeiros anos da infância, descobrindo ainda que teimar e ser desobediente não o livraria de eventuais machucados... Esse cuidado que nos mantém vivos, seguros e nos orienta, desde o início, é exercido através de uma hierarquia exercida tão naturalmente que imediatamente vemos quanto é boa. Hierarquia que é fruto do amor e dá forma e estrutura à própria família e constrói, de forma positiva, o espírito de liderança e a noção da importância da obediência.

Um povo, um país, também decorre do espírito de união e proteção mútua das famílias e, mesmo dos indivíduos, que o compõe. Por isso, não é de se espantar, que se estruture, também, por meio do mesmo conceito de hierarquia presente em cada família. Poderia, muito apropriadamente, ser visto e descrito como uma grande família.

E, ao estender um pouco mais nosso olhar, vemos que no universo encontramos muito bem estabelecida a noção de hierarquia: o Sol e os planetas; a Terra e a Lua; os átomos e seus elétrons; a alma e o corpo; Deus e a sua obra.

O desvio da noção de hierarquia e seus males


Mas, sendo a hierarquia algo perceptivelmente bom, por que, então, algumas pessoas se rebelam contra a própria noção de hierarquia? Ocorre que, alguns, exercem a hierarquia com determinados abusos que desviam a hierarquia de seus nobres objetivos. Tais abusos são ações resultantes do egoísmo ou da insensatez de alguns líderes. Fazendo sobressaltar ordens que se mostram sem sentido, ou mesmo maléficas para o conjunto das pessoas daquele povo ou para seus indivíduos. 

No afã de serem obedecidos, tais líderes partem para a opressão e tirania utilizando a força e o poder da hierarquia para isso.

Do desvio da noção de hierarquia é compreensível que surja uma revolta contra tal estrutura de poder e comando. Mas, de tal revolta acaba por surgir, também, um outro problema: a chama de um espírito revolucionário.

E, como chama de uma fogueira que se espalha numa mata ressequida, o espírito revolucionário se espelha pelo povo. Incendiando corações que passam a uma revolta contra tudo e contra todos. Qualquer autoridade passa a ser vista como algo opressor que deve ser tido como coisa desprezível para ser descartado. Amizades são desfeitas, amores perdidos, pais e mães maltratados, irmão se volta contra irmão, a barbárie e o caos são instalados.

Sabendo disso algumas pessoas tentam apagar o incêndio ou reduzir seus danos, mas outros sujeitos parecem ficar obcecados em aumentar as labaredas das revoltas para tentar tirar proveitos da situação e chegar ao poder, são os chamados movimentos revolucionários. Movimentos e grupos que tentam através de ideologias e conceitos de socialismos, manipular a sociedade para tirar proveitos para um determinado grupo ou classe. Mesmo que para isso cheguem a perverter mentes e corações.

Chegam, inclusive, a recriar versões da própria História da Civilização para reduzir a aventura humana numa mera luta de classes, nas lutas de uns contra os outros, de oprimidos contra opressores. Desumanizando corações, disseminando ódios e ceifando vidas e destinos.

Restaurando o princípio hierárquico


Todos nós, em alguns momentos, somos chamados a obedecer e, em outros, a exercer a hierarquia. Seja por nossas atividades profissionais, seja por nossas relações afetivas e familiares. Nessa hora, precisamos exercer a hierarquia de forma sempre a encontrar formas de ressaltar as intenções amorosas que nos movem; precisamos obedecer as pessoas que estejam em postos de liderança, buscando compreender suas boas intenções e objetivos, aplacando nossos ímpetos de contestação ao menor sinal de comandos que, por hora, ainda não entendemos o motivo, ou que, por hora, ainda não possamos concordar.

Sabendo dessas coisas, portanto, vemos claramente o que é preciso: 
  • é preciso entender que as relações de hierarquia são necessárias e fundamentais para as relações humanas;
  • é preciso restaurar a noção de que a hierarquia é fruto de um pai amoroso que instrui, conduz e protege seus filhos; 
  • é preciso restaurar a hierarquia que é fruto do amor que nos une uns aos outros desde o princípio da vida;

Eis como devemos proceder e ajudar a instruir aos outros: "Amai a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a ti mesmo..." 
Comentários

Postar um comentário