Um banho de realidade na Unidos da Lacração Primeira de Esquerdalha

3.04.2019  @DigaoPessoa
Teve de tudo que não presta no carnaval 2019, dos xingamentos levianos contra o presidente ao desrespeito vilipendioso contra a fé da maioria do povo brasileiro. Mas, como todo carnaval tem seu fim, é hora de lavar com as águas da realidade essas mentes poluídas...



Os diversos relinchamentos ébrios e carnavalizados contra o Bolsonaro — presidente recém eleito pela grande maioria dos eleitores —, juntamente com polemizações contra a fé cristã, comprovam que o carnaval NÃO é uma festa querida pela maioria dos brasileiros e não respeita as raízes culturais e morais do próprio país! É uma euforia das vaidades de uns, mantida com dinheiro dos governos e prefeituras sustentadas pelos impostos dos outros!

Já no mês seguinte, ninguém mais lembra sequer quais eram as marchinhas dos seus "brocos" preferidos. "Brocos" que, assim como as torcidas organizadas e as escolas de samba, são espelhos da estrutura das agremiações dos sovietes da revolução comunista em versão tropicalizada e teatralizada.

O povo que pula carnaval é um povo que segue uma marcha rumo ao nada da apoteose do desespero transvestido de alegria, coisa de quem acha que está feliz por estar chapadamente eufórico. Como pode pretender ainda assim dar palpite a ser levado a sério na vida do país?! Quer ficar zuado? A saúde é sua. Mas pretender ofender o presidente eleito pelas pessoas que querem construir um Brasil melhor a partir da realidade dos fatos e da boa fé, aí já é dose pra leão entrar em coma alcoólica...

Do outro lado a maioria do povo prefere dormir, nada do papo furado de que o brasileiro é folião e boêmio: normalmente não se vê engarrafamentos por toda a parte às 3 horas da madrugada; a grande maioria do povo ocupa mesmo as ruas diariamente nos horários em que sai para trabalhar, estudar, etc.

A minoria esquerdista segue descendo as ladeiras com euforia, mas raivosa, ofegante e histérica — pensa através de imagens mentais formuladas em desacordo com a realidade objetiva dos fatos —, saudosa de ver quem afaga coisas erradas no poder. Pode até fazer barulho, mas é exatamente isto que ela é: uma minoria barulhenta, fanfarrona e leviana, coberta de bafo de cachaça, vômitos, muito suor e purpurina; deixando o lixo pelo chão das cidades, exemplificando toda sua atenção e zelo pelo bem comum da sociedade...

Desejemos a eles um bom banho descarnavalizante na quarta, pois a vida de verdade vai além dos sonhos fantasiosos, das ilusões e dos zunzunzuns de carnaval. Além dessa foguenta folia, sempre desfeita em cinzas, que cobra o preço do efeito seguinte ao da extrema euforia vazia, o preço da depressão.

Possam, assim, as águas da realidade lavar as mentes poluídas e livrar toda essa gente das desilusões dessas vidas.

Portanto, pra quem pulou o carnaval do desrespeito ao presidente eleito pela vontade da maioria e, até mesmo, da provocação leviana a fé maioritária do povo, fica aí a dica: — Ei, folião, vá tomar... BANHO!
Print Friendly and PDF
Comentários

Postar um comentário